Enofobia: Cuidado! Você pode ter esse medo e não saber!!!

Medo de Vinho

Medo de lugares fechados é claustrofobia. Medo de aranhas se chama aracnofobia. Acrofobia seria medo de altura. E medo de vinho? Sim, isso existe e se chama Enofobia. Pode até parecer piada, mas acredite, isso existe e provavelmente temos pessoas com algum grau dessa fobia perto de nós.

No entanto, a Enofobia não é retratada como um simples medo de olhar uma taça de vinho girar ou de pensar que existe uma garrafa de vinho embaixo da cama com uma faca ou uma invasão planetária de uvas alienígenas. Não, não! A enofobia pode ser melhor descrita, por exemplo, como  o medo de ter que escolher um vinho para uma festa, eleger um “vinho ruim” e ser culpado pelo anfitrião e convidados; ou, até mesmo, o medo de acabar bebendo muito vinho, ficar extremamente embriagado e incapaz de controlar os sintomas da embriaguez, como vômitos e desinibição. O medo de escárnio é uma das forças mais poderosas, mas freqüentemente negligenciadas, da sociedade civilizada. Para a maioria das pessoas, esses sintomas são leves e geralmente associados a timidez ou vergonha, mas para alguns poucos, esse medo é paralisante, não permitindo a essas pessoas apreciar uma boa taça da bebida favorita de Baco.

A enofobia é tida como um tipo de transtorno de ansiedade social. Tal como acontece com qualquer fobia, os sintomas variam de pessoa para pessoa, dependendo do seu nível de medo. Os sintomas normalmente incluem ansiedade extrema, medo e qualquer coisa associada a pânico, como falta de ar, respiração acelerada, batimentos cardíacos irregulares, suor, sudorese excessiva, náusea, boca seca, náusea, incapacidade de articular palavras ou frases, boca seca, tremores…

Gostaria muito de poder tecer três linhas de conselho e resolver este problema, mas para os níveis mais agudos desses sintomas, o ideal é procurar ajuda profissional como aconselhamento, hipnoterapia, psicoterapia… Para os níveis menos intensos, apenas continue a desfrutar cada garrafa, cada taça, lembrando que a experiência de um vinho é énica para cada um e que 50% da diversão é compartilhar informações pessoais de cada taça. Não importa se é um Chianti Colli Fiorentini de pouco mais de R$50,00 ou um Chateau le Pin de Pomerol, de R$23.000,00.

A propósito, Dipsofobia seria o medo de beber…

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vinhos premiados no Wine Piri Jazz

Conheça os vinhos premiados por Marcelo Copello no Wine Piri Jazz. Foram avaliados 62 vinhos…

Evento de Harmonização de Vinhos Italianos Tenuta Ulisse

Na última quinta-feira (20), o perfil @vinhosporetienne teve o privilégio de participar de um evento…

Palomina Bar: Novo Wine Bar em Brasília

Brasília, o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, ganha um novo wine bar: o Palomina…

Directo del Viñedo Vendimia no Uruguai

Após ser realizado no Brasil e no Chile, o Directo del Viñedo Vendimia chega ao…