Embarcação com mais de 2.200 anos é encontrada com ânforas de vinho

A descoberta foi descrita pelas autoridades sicilianas como um dos mais importantes achados arqueológicos dos últimos anos. Fotografia: Soprintendenza del Mare Regione Sicilia
A descoberta foi descrita pelas autoridades sicilianas como um dos mais importantes achados arqueológicos dos últimos anos. Fotografia: Soprintendenza del Mare Regione Sicilia

Estimada em ter sido usada há 2.200 atrás, a embarcação comercial localizada nas águas do Mar Mediterrâneo, a 92 metros de profundidade, na costa siciliana (Itália), foi descrita descrita pelas autoridades locais como “um dos achados arqueológicos mais importantes dos últimos anos”. O navio continha uma carga de vinhos de ânfora preciosíssimo, cujo processo de produção remonta à Roma Antiga (753 a.C. a 476 d.C.). A embarcação foi encontrada no final do mês de julho.

É possível observar as garrafas de bebida através de imagens captadas por um robô submarino. O equipamento aquático foi comandado a partir do navio oceanográfico Calypso South, que pertence à Agência Regional para a Proteção do Ambiente da Sicília (Arpa). Vincenzo Infantino, presidente da entidade, falando para a mídia italiana Ragusa News, observa que o monitoramento das águas enriquece as belezas do mar siciliano em muitos aspectos não só em termos de espécies e recursos ambientais, mas também da recuperação de elementos essenciais para a reconstrução da história do mar. Valeria Li Vigni, superintendente do mar da Sicília que contribuiu com a expedição marítima, comentou ao jornal britânico The Guardian que a região do Mediterrâneo oferece elementos sobre essa história ligada ao comércio marítimo continuamente, e diz que agora, com essa descoberta, saberemos mais sobre a vida a bordo e as relações entre as populações costeiras.

Expedição encontrou ânforas de vinho em antigo navio romano. Reprodução - Facebook
Expedição encontrou ânforas de vinho em antigo navio romano. Reprodução – Facebook

Os pesquisadores planejam, com a descoberta, entender melhor como era a rota de comércio do Mediterrâneo onde os romanos comercializavam temperos, vinhos, azeite e outros produtos em direção a outras regiões da Europa, norte da África e Oriente Médio. Por conta da antiga tradição marítima da Itália, existem inúmeros outros naufrágios romanos em toda a região mediterrânea. Todos os anos, centenas de ânforas de vinho romanos, retirados ilegalmente dos sítios arqueológicos, são apreendidos pela polícia italiana nas casas de negociantes de arte. Em junho, por exemplo, as autoridades italianas recuperaram centenas de achados arqueológicos coletados ilegalmente de um colecionador belga, que datam do século VI aC e no valor de € 11 milhões.

Fonte: Italianismo

Leia: ABS-DF realiza degustação inédita de Vinhos do Cerrado de Altitude

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vinhos premiados no Wine Piri Jazz

Conheça os vinhos premiados por Marcelo Copello no Wine Piri Jazz. Foram avaliados 62 vinhos…

Evento de Harmonização de Vinhos Italianos Tenuta Ulisse

Na última quinta-feira (20), o perfil @vinhosporetienne teve o privilégio de participar de um evento…

Palomina Bar: Novo Wine Bar em Brasília

Brasília, o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, ganha um novo wine bar: o Palomina…

Directo del Viñedo Vendimia no Uruguai

Após ser realizado no Brasil e no Chile, o Directo del Viñedo Vendimia chega ao…