Teste cego: você sabe diferenciar um vinho caro de um vinho barato?

Vídeo mostra que a maioria das pessoas não é capaz de diferenciar um vinho caro de um vinho barato.

As pessoas são capazes de identificar qual o vinho mais caro em um teste cego? Um canal de ciências e consciência social no Youtube, Asap Thought, realizou um Wine Challenge (desafio do vinho) para saber se nós podemos confiar nas nossas papilas gustativas.

Qual o vinho caro e qual o barato? 

Asap Thought realizou três testes: no primeiro, as pessoas deveriam beber um vinho branco caro (um Chardonnay da Borgonha) e um outro barato (Santa Carolina chileno) para tentar identificar qual deles custava mais. Algumas descreveram o vinho mais caro como sendo “Realmente ruim”, “Tem cheiro de xixi” e “tem gosto de barato”. No geral o vinho caro recebeu uma avaliação muito mais negativa dos participantes do que o vinho barato, dos quais as pessoas que participaram do teste pareceram gostar mais.

Segundo o autor do vídeo, apesar da expectativa de que as pessoas saberiam distinguir o vinho caro do vinho barato, bem distintos entre si, num teste cego com 6 mil pessoas nenhuma conseguia dizer a diferença. Ele cita um outro estudo, onde as pessoas eram levadas a provar um vinho que fora colocado em duas garrafas diferentes. Uma, que parecia uma garrafa realmente cara, e a outra, comum. O vinho era o mesmo, mas mesmo assim as pessoas descreviam o vinho servido da garrafa mais cara como mais “complexo”, “balanceado”, enquanto que o outro (na verdade o mesmo, mas servido de outro recipiente) era “fraco”.

“Existem muitos fatores que influenciam no gosto e no cheiro das coisas, mas alguns estudos tem demonstrado que muitas vezes o talher que você usa ou o preço do produto pode determinar o seu pensamento e a sua percepção sobre as coisas”, explica o autor do desafio no começo do vídeo.

O vinho “tinto”

O segundo teste realizado pelo grupo canal Asap Thought consistiu em colocar dois diferente vinhos brancos, mas na mesma faixa de preço, para que as pessoas dissessem qual deles custava mais. Entretanto, foi colocado um corante vermelho nas bebidas, e o objetivo real era saber se as pessoas conseguiriam perceber que o vinho que estavam tomando era um vinho branco, e não tinto. Quase nenhuma das pessoas percebeu a diferença e uma das participantes chegou até a afirmar que achava estar bebendo “um pinot noir“!

A maioria das pessoas não ficou muito chateada por não reparar a diferença, e o autor explica que isso é normal por que mesmo alguns experts no assunto comentem erros. “Um estudo com 54 experts em vinho mostrou que quando se tinge um vinho branco de vermelho, mesmo quem tem mais experiência pode se enganar”, relata. Segundo ele, isso pode ser explicado por que o nosso sentido olfativo é 10 vezes mais lento que o visual.

Mesmo vinho… sabores diferentes? 

O último dos desafios, o terceiro teste, é talvez um dos mais intrigantes: o mesmo vinho foi colocado em duas taças. Mesmo assim, o mesmo vinho recebia, da mesma pessoa, uma descrição diferente: “Este parece mais leve que esse”, arriscou um deles enquanto realizava o desafio. “Isso mostra como a percepção e a influência pode fazer você sentir gostos diferentes”, conclui o autor.

O vídeo está em inglês, sem legendas, e se quiser dar uma conferida é só assistir abaixo.

 

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Confira os cursos da Associação de Sommeliers do DF para Março

Já imaginou aprimorar os seus conhecimentos na área do vinho de forma teórica e prática?…

Restaurante Aroma ganha novos pratos e ambientes

O Restaurante Aroma celebra seu quinto aniversário no final deste ano, mas já começou a…

João Roquette da Qualimpor é personalidade do Ano no Brasil

O dirigente da Qualimpor, João Roquette, português de origem, foi recentemente laureado com o título…

Participe do Festival de sakês no Noru Sushi

Se você é um entusiasta da culinária japonesa ou está à procura de aventuras culinárias…