Poda das videiras no inverno: entenda a importância deste cuidado para a qualidade do vinho

A poda das videiras no inverno ou poda seca, é uma prática que visa proporcionar diversos benefícios para o bom desenvolvimento das uvas. A cada estação o comportamento do ambiente se modifica drasticamente, e em conjunto com as mudanças de clima, vem a necessidade de cuidados alternados com o meio ambiente. A prática da poda é muito importante principalmente no inverno, para garantir a vitalidade e crescimento das fornecedoras de vinho.

O comportamento do ambiente se modifica drasticamente no inverno

Na região dos Altos Montes da Serra Gaúcha, localizada nos municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua, a poda das videiras no inverno é uma prática necessária para garantir a qualidade dos frutos e posterior qualidade do vinho. A intervenção é realizada de julho a setembro, de acordo com o objetivo das vinícolas e viticultores.

Segundo Augusto Salvador, enólogo da Terrasul Vinhos Finos, este “é o período em que a planta se encontra no estado de dormência, com menor atividade fisiológica, e ao limitar o número de gemas férteis que poderão brotar, a videira realiza o processo de controle da produção, bem como da qualidade e posição dos futuros frutos”. Junto a isso, o especialista aponta que cada gema é responsável por originar galhos, folhas e frutos.

Poda das videiras revitaliza fornecedoras de vinho

Além de essencial, a prática da poda é extremamente benéfica para as videiras, já que o controle da produção resulta em uma concentração maior de açúcares e polifenóis nos frutos. Isto faz com que a fotossíntese ocorra da melhor forma possível e a planta consiga absorver os nutrientes que necessita para uma boa maturação de seus frutos.

“É importante salientar que cada variedade de uva exige uma condução diferenciada, sendo o tamanho da poda responsável por determinar a melhor forma de produção. A Cabernet Sauvignon, por exemplo, complementa Salvador, por ser uma variedade vigorosa, com o excesso de gemas e falta de cuidados pode gerar um grande número de galhos, e consequentemente, uma produção maior, porém de menor qualidade”, conclui.

A falta de cuidados com a casta pode gerar um grande número de galhos

O turista que desejar observar as videiras no processo de poda, pode visitar a vinícolas dos Altos Montes entre junho e setembro e já aproveitar o charmoso passeio neste destino da Serra Gaúcha no inverno. A cada vinícola que o turista visitar, receberá um carimbo para preencher em seu passaporte. Somando o mínimo de 7 carimbos, o turista já poderá submeter seu Passaporte para o sorteio de um kit com 12 garrafas de Vinhos dos Altos Montes, sendo um rótulo de cada vinícola associada. Confira abaixo a lista de vinícolas associadas e mais informações.

Rota dos Vinhos dos Altos Montes

Localizada na Encosta Superior do Nordeste do RS, entre os municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua, a Rota dos Altos Montes abriga a maior extensão de plantação de uvas do Rio Grande do Sul, sendo um dos mais charmosos destinos da Serra Gaúcha. Chegando a altitudes de 600 a 800 metros, reúne paisagens exuberantes que mesclam montes e vales. Além de oferecer o que há de melhor da cultura e culinária italiana, a região também é a maior produtora de uvas e vinhos do país, oferecendo diversas opções de vinhos finos e de mesa. Atualmente, é contemplada com o registro de Indicação de Procedência (IP) dos Altos Montes.

Conheça a região onde se cultivam uvas

Vinícolas dos Altos Montes

Boscato Vinhos Finos
Casa Venturini Vinhos & Espumantes
Cave de Angelina Vinhos & Vinhedos
Fante Bebidas
Luiz Argenta Vinhos Finos
Terrasul Vinhos Finos
Valdemiz Vinhos Finos
Vinhos Fabian
Vinhos Viapiana
Vinícola Bebber
Vinícola Mioranza
Vinícola Panizzon

Informações sobre a região:

TurísticasMapa

Leia: Vladimir Putin determina que só o espumante fabricado na Rússia é champanhe

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vik Chile vence prêmio ‘South America’s Leading Wine Region Hotel’ pelo segundo ano consecutivo

O Vik Chile foi premiado pelo segundo ano consecutivo com o renomado prêmio “South America’s…

Casa Chandon Garibaldi: O Refúgio dos Amantes de Espumantes

Localizada na pitoresca cidade de Garibaldi, na Serra Gaúcha, a Casa Chandon é muito mais…

Em Brasília, Cooperativa Vinícola Garibaldi leva novidades à Expovitis

Brasília se prepara para receber um dos eventos mais aguardados pelos entusiastas e profissionais da…

Prêmio Queijo Brasil

Em uma noite memorável em Blumenau (SC), ocorreu a entrega do Prêmio Queijo Brasil, um…