95 anos cooperando e cada vez mais sustentáveis

A Cooperativa Vitivinícola Nova Aliança, próxima de seu centenário, reforça seu compromisso com a responsabilidade social e práticas sustentáveis. Fundada em 2010 pela união de cinco cooperativas históricas da Serra Gaúcha — Cooperativa São Victor (1929), Cooperativa São Pedro (1930), Cooperativa Santo Antônio (1931), Cooperativa Aliança (1931) e Cooperativa Linha Jacinto (1931) —, hoje a Nova Aliança agrega aproximadamente 700 famílias cooperadas. Juntas, elas gerenciam 2.000 hectares de vinhedos distribuídos pela Serra Gaúcha, Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha, além de 50 hectares de vinhas vitis viníferas em Santana do Livramento.

A cooperativa é a mais antiga em operação no Brasil e tem um portfólio diversificado com mais de 100 rótulos entre vinhos finos e de mesa, espumantes, sucos, frisante, filtrado e quentão. Esses produtos são um reflexo do terroir de quatro regiões distintas do Rio Grande do Sul. Com uma das maiores e mais modernas instalações industriais de suco de uva da América Latina, localizada em Flores da Cunha, a cooperativa possui capacidade para processar até 60 milhões de quilos de uva por ano.

Nova Aliança é um exemplo de práticas sustentáveis na viticultura, envolvendo o trato consciente com cada família cooperada, a utilização responsável de recursos naturais e o manejo adequado de resíduos. O uso de água nas unidades provém de poços artesianos, e a qualidade é rigorosamente controlada por análises laboratoriais diárias. A cooperativa também reaproveita água da chuva, armazenada em cisternas com capacidade total de 670.000m³, utilizada na limpeza e operação de equipamentos.

Adicionalmente, a Nova Aliança investe em energia limpa, possuindo duas fazendas solares em Santana do Livramento e Farroupilha que geram aproximadamente 20.000 KWh mensais. Este investimento permite uma redução significativa na emissão de CO2, equivalente ao não corte de 4.000 árvores por ano. Além disso, a vinícola construiu uma estação de tratamento de efluentes capaz de tratar 7.876 m³ por mês, garantindo a eliminação de impactos negativos ao meio ambiente.

No que diz respeito ao manejo de resíduos, a cooperativa destaca-se pela reciclagem e reuso. Resíduos como papel, plástico, vidro, metal e embalagens Tetrapak são enviados para reciclagem. Os resíduos orgânicos, que constituem 72% do total gerado, são compostados para produzir adubo, enquanto o bagaço da uva é utilizado na alimentação animal. A Nova Aliança também realiza logística reversa de materiais como pallets, pilhas e bombonas, devolvendo-os aos fornecedores.

Além disso, a cooperativa lidera um projeto de uva orgânica, um dos maiores da América Latina, visando minimizar o impacto ambiental dos defensivos agrícolas e produzir sucos mais naturais e saudáveis, o que também contribui para aumentar a renda dos cooperados.

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Taste São Paulo: Degustando Estrelas do Guia Michelin 2024

O Guia Michelin 2024 lançado no dia 20/5, selecionou 140 endereços de São Paulo e do…

Festival Brasil Sabor

De 16 de maio a 2 de junho, mais de 700 restaurantes de todo o…

Capital receberá o primeiro Festival da Cachaça

De 22 a 26 de maio, Brasília será sede do primeiro Festival da Cachaça da…

Reposicionamento e Integração Vertical: Mundo Planalto

O Mundo Planalto Parques e Resorts, antigo Mundo Planalto, está em contagem regressiva para a…