A experiência e as lembranças são as bases do enoturismo

O enoturismo nacional está ganhando destaque e importância crescente, tanto para a indústria do vinho quanto para o turismo no Brasil. Segundo estatísticas internacionais, a produção e o consumo de vinhos comuns têm diminuído nos últimos anos, enquanto a fabricação de vinhos finos tem aumentado, indicando que os consumidores estão buscando vinhos de maior qualidade.

Com o aprimoramento do paladar dos consumidores e as mudanças nas preferências dos turistas, o enoturismo está se tornando uma atividade cada vez mais popular. O enoturista busca experiências relacionadas ao vinho, como visitas a vinícolas, degustações e aprendizado sobre o processo de produção. Esta demanda cria uma oportunidade para a personalização dos rótulos de vinho.

“Essa é uma estratégia que pode acrescentar valor ao produto e ao mercado do enoturismo. Ao personalizar um rótulo, a vinícola pode criar uma conexão emocional com o consumidor, tornando o vinho mais especial e único. Isso permite que o turista leve para casa uma lembrança personalizada da sua visita à vinícola, o que pode aumentar a fidelização e a valorização do produto”, afirma Cleber Gusmão, CEO da Custom Label, empresa especializada em personalização de rótulos.

O enoturismo oferece uma oportunidade para impulsionar o turismo regional, destacando a cultura, a história e a tradição das regiões vitivinícolas. Países como França, Itália, Espanha, Portugal e Alemanha têm utilizado a oferta gastronômica como um atrativo cultural, integrando o vinho como parte essencial da experiência turística.

É importante ressaltar que esse mercado ainda tem muito potencial a ser explorado no Brasil. Apesar da significativa melhora na qualidade dos vinhos nacionais, o país ainda ocupa uma posição modesta no mercado global, com um consumo per capita de vinho baixo em comparação com países como a França.

“Para impulsionar o enoturismo nacional e aumentar a valorização do vinho brasileiro, é necessário investir em divulgação, promoção e educação sobre a cultura do vinho. A criação de rotas de vinho, a realização de eventos, a personalização de produtos e a oferta de atividades relacionadas ao enoturismo podem atrair mais turistas e impulsionar o setor”, acrescenta Cleber Gusmão.

Em suma, o enoturismo nacional tem um grande potencial de crescimento e pode contribuir significativamente para o desenvolvimento econômico e turístico das regiões vinícolas do Brasil. A personalização de rótulos de vinho pode agregar valor ao produto e ao mercado, proporcionando uma experiência única e memorável para os turistas. Com o investimento adequado e a valorização dos vinhos nacionais, o enoturismo pode se tornar uma atividade de destaque no país.

Leia também – Temporais alagam vinhedos na Serra Gaúcha

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Curso Básico de Vinhos Nível 1 Intensivo de Férias

A Associação Brasileira de Sommeliers do Distrito Federal (ABSDF) acaba de anunciar o Curso Básico…

Evento destaca reforma tributária e apoio ao empreendedorismo

Na noite desta terça-feira (11), diversas lideranças do setor produtivo e autoridades públicas participaram da…

Rótulos Inovadores e Novas Regulamentações da União Europeia

Nos últimos anos, os rótulos de produtos, especialmente no setor de vinhos e espumantes, têm…

Produção nacional segue conquistando prêmios na França

Os vinhos e espumantes brasileiros seguem conquistando prêmios na França. Somente neste ano, já foram…