Embaixada da África do Sul promove eventos enogastronômicos

Embaixador Vusi Mavimbela ladeado à esq. por Cecilia Iturralde, Conselheira Econômica da embaixada, e à dir. por Etiene Caravalho (Blog Vinho Tinto) e Melissa Genevieve, produtora de espumantes sul-africanos
A embaixada da África do Sul, que fica em Brasília, promoveu no mês de novembro dois importantes eventos enogastronômicos. O primeiro, realizado dia 27.11, teve por objetivo apresentar alguns vinhos sul-africanos a importadores, distribuidores e profissionais da área no Brasil. O evento foi organizado pela conselheira econômica da embaixada Cecilia Iturralde e contou com a presença do embaixador da África do Sul Vusi Mavimbela e da produtora de espumantes sul-africanos Melissa Genevieve, que apresentou seus espumantes premium feitos pelo Methode Cap Classic. Tais espumantes, também conhecidos pela sigla MCC, são produzidos exclusivamente na África do Sul pelo método tradicional, ou seja, com segunda fermentação feita na garrafa e também seguem normas rígidas como as de produção de champanhes, na França.
Espumante Genevieve Methode Cap Classic (MCC) – método exclusivo Sul-Africano
Estreitamento de laços – Em seu discurso, o embaixador destacou que pelas similaridades em diversos aspectos, a África do Sul está mais próxima dos países da América Latina do que de muitos países da própria África. Ele frisou que essa semelhança justifica, inclusive, o estreitamento dos laços comerciais com o Brasil. A conselheira econômica Cecília Iturralde destacou que mesmo o Brasil impondo taxas muito elevadas para vinhos não provenientes do Mercosul, existe ainda uma grande demanda por vinhos de outros continentes por parte dos brasileiros. “A nossa ideia é apresentar para os consumidores do Brasil o sabor do vinho sul-africano. Conhecendo a qualidade dos nossos produtos sentirão cada vez mais vontade de degustá-los e apreciá-los também”, resumiu.
A conselheira econômica da embaixada da África do Sul não mediu esforços para a realização dos eventos
Muito além da Pinotage – Tive a grata honra de ser convidada para proferir algumas palavras durante o evento sobre minha experiência enogastronômica na África do Sul na condição de jornalista especialista em vinhos (relembre aqui). Na ocasião, enalteci as belezas naturais da região, a simpatia do povo sul-africano e, claro, a deliciosa comida e os vinhos maravilhosos produzidos por lá. Lembrei que o país vai muito além da uva local Pinotage, e conta com vinhos excepcionais à base de Cabernet Sauvignon, Shiraz, Merlot, Sauvignon Blanc, Chenin Blanc ou mesmo cortes bordaleses. “Isso sem falar do excepcional Vin de Constance, vinho de sobremesa feito à partir da Muscat de Frontignan passificada nos vinhedos e que encantou personalidades francesas como Napoleão Bonaparte e Baudelaire.”
Etiene Carvalho – “A África do Sul é muito mais do que a Pinotage”
Em busca de importadores brasileiros – Em seguida, a enóloga e empresária Melissa Genevieve, apresentou dois espumantes MCC.  Os espumantes, provenientes do terroir de Bot River, impressionaram pela altíssima qualidade. O primeiro foi o Genevieve Blanc de Blancs 2019, feito 100% com Chardonnay. Apenas 7mil garrafas. Esse espumante ficou quatro anos em contato com as leveduras e mostrou muito frescor e estrutura, além de acidez crocante. Notas de amêndoas, torradas, frutas cítricas e manteiga. O segundo foi o Genevieve Brut Rosé feito 100% de Shiraz. De cor salmão claro, esse espumante é fresco e com notas de morango, cereja e pêssego, com final persistente. Espumantes excepcionais degustados pela primeira vez em solos brasileiros.
O segundo evento, que aconteceu dia 28.11,  foi cultural-culinário destinado a apresentar algumas delícias do dia a dia da gastronomia sul-africana.
Evento Cultural-Culinário na Embaixada da África do Sul no Brasil
Alguns dos pratos saboreados – Boerewors e Pap – Um dos alimentos mais populares da África do Sul, é um tipo de linguiça feita de carne moida. Apesar de parecer simples, segue diretrizes rígidas para ser produzida. O Pap é uma espécie de mingau feito de farinha de milho, que é servido com molhe de tomate.
Boerewors e Pap
O Vetkoek e Picado é um tradicional pão de massa frita sul-africano e significa bolo gordo, é feito com massa fermentada e normalmente serido com carne.
Vetkoek e Picado
De sobremesa, o melktert – torta de leite – um dos doces mais tradicionais do país.
Melktert
Também foram degustados outros pratos como o Biryani, o Curry  e a torta de carne bobotie. Para escoltar os pratos, os deliciosos espumantes MCC Genevieve, o Sauvignon Blanc e o Pinotage produzidos pela Nederburg e trazidos para o Brasil  pela Porto a Porto e também o vinho Bobeejan Red Blend, importado pela MyWinery.
Sem dúvidas, um intercâmbio cultural e enogastrônomico de primeiríssima qualidade. Parabéns a toda equipe da embaixada da África do Sul no Brasil pela realização do evento.
Confira abaixo mais fotos dos eventos
 
Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Palomina Bar: Novo Wine Bar em Brasília

Brasília, o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, ganha um novo wine bar: o Palomina…

Directo del Viñedo Vendimia no Uruguai

Após ser realizado no Brasil e no Chile, o Directo del Viñedo Vendimia chega ao…

Júri Internacional Avalia 12º Brazil Wine Challenge

O 12º Brazil Wine Challenge, que ocorrerá de 16 a 19 de julho em Bento…

Dia do Vinho Ticiana Werner

Depois de conquistar o público brasiliense com bons vinhos, alta gastronomia e sofisticação, o Dia…