Saiba qual é melhor tipo de vedação para seu vinho

Saiba qual é o melhor tipo de vedação para seu vinho

A maneira como ocorre a vedação dos vinhos reflete diretamente a proposta do drinque. Em vinhos que passarão por envelhecimento longo em garrafa, a cortiça natural maciça possui um papel de micro-oxigenação, graças ao fato de ser porosa e flexível, o que favorece o amadurecimento e evolução saudável da bebida depois de engarrafada. Em casos como esse, as garrafas precisam ser armazenadas na horizontal – para que o líquido fique em contato com rolha e, assim, evitemos que ela resseque e esfarele. Outro cuidado é que o rótulo seja mantido em local livre de odores e com baixa umidade. São vinhos normalmente do Velho Mundo e com preço elevado. É estimado que em até 4% dos vinhos fechados com cortiça há TCA (tricloroanisol), composto que surge pela presença de fungos, e que gera a doença da rolha ou bouchonné.

Diversos materiais diferentes de rolhas

Enquanto rolhas de cortiça são ideais para vinhos sem muito potencial de guarda, o mesmo não se aplica quando o vinho é aquele do dia-a-dia, que sai da vinícola pronto para ser saboreado. Elaboradas a partir de derivados de petróleo, borracha ou cana-de-açúcar, as rolhas sintéticas são mais baratas e não costumam apresentar problemas com fungos.

Ainda existem as roscas de metal, tipo criado na década de 60. Elas são baratas, recicláveis e vedam perfeitamente a garrafa, permitindo trocas ínfimas de oxigênio com o ambiente e desacelerando a evolução do vinho. Austrália, Nova Zelândia, Alemanha, Chile e África do Sul estão entre os lugares que adotaram amplamente esse tipo mais moderno de vedação.

A importância da rolha para preservar o vinho da maneira correta

É possível encontrar, numa mesma vinícola, linhas com diferentes tipos de vedantes. O que vai definir a escolha do tipo de tampa será o estilo da bebida e o mercado-alvo ao qual aquele vinho, em especial, se destina. Nesse caso, cabe ao consumidor decidir se prefere uma experiência mais prática ou tradicional na hora de consumir os vinhos.

Leia: Exportação de vinhos finos tem resultados positivos

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Dia do Coquetel: Saboreie Receitas com Vinho

No dia 18 de maio é celebrado o Dia do Coquetel e o vinho pode…

Inscrições abertas: Workshops no 8º Festival Gastronômico de Atibaia

O 8º Festival Gastronômico de Atibaia está de volta, trazendo várias novidades neste ano! Além…

Logística reversa de vidro agora é monitorada em todo o Brasil

A Central de Custódia, empresa especializada em verificação de resultados da logística reversa de embalagens…

Decanter Wine Day 9ªedição

Prepare-se para a nona edição do Decanter Wine Day, um dos eventos mais prestigiados de…