Vinho na Janela: Toscana recupera tradição

Vinho na Janela
Vinho na Janela – Associazione Buchette del Vino/Divulgação

Em razão da pandemia, muitos restaurantes, chás e cafés tiveram de se reiventar pois foram obrigados a fecharem as portas. Isso aconteceu em quase todo o canto do mundo. No entanto, na Toscana, muitos adotaram o sistema Take Away (compra na internet e retira no local) como o seu principal meio de venda. Assim, os comerciantes do local passaram a vender o vinho na janela, permitindo assim o distanciamento entre funcionários e clientes.

anela de vinho, em Florença
Janela de vinho, em Florença (Associazione Buchette del Vino/Divulgação

A ideia, contudo, não é tão original, informou a imprensa italiana. No século XVII,  na época da peste negra,  foram construídas na Toscana, pequenas janelas para a venda de vinho – chamadas as buchette del vino, pequenos buracos em casarões renascentistas por onde a bebida era vendida.

Janelas de Vinho
Janela de vinho, em Florença – Associazione Buchette del Vino/Divulgação

 Estas janelas eram compostas por portadas de madeira que permitiam que permanecessem fechadas e tinham o tamanho certo de uma garrafa de vinho. O pagamento acontecia por meio do depósito de moedas numa caixa, as quais eram posteriormente desinfectadas com vinagre. É certo que o termo ‘Distanciamento social’ não era usado na época, contudo as janelas foram construídas com o propósito que nos dias de hoje está cada vez mais presente nas nossas vidas.

Janela de vinho do restauranteIl Latini Associazione Buchette del Vino/Divulgação

De seu nome original ‘buchette del vino‘, da Toscana, as janelas estão esculpidas nas paredes de lojas vinícolas e lojas urbanas, onde permaneciam como registr histórico, mas que em razão da pandemia estão sendo utilizadas para que muitos empresários mantenham seus negócios. Além de vinhos, são vendidos também café e comida por meio dessas janelas.

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vem ai o II Wine Jazz Piri

O 2º Wine Jazz Piri está chegando com a proposta de apresentar o Terroir do…

Masterclass marca comemoração do dia de Portugal

Uma Masterclass com excelentes rótulos portugueses marcou a primeira parte das comemoraçoes do dia de…

Evento com presença de Luis Pato em Brasília

Quem esteve em Brasília foi o renomado produtor da Bairrada, Luis Pato. O evento, promovido…

ProWine São Paulo 2024 será palco do lançamento mundial

O evento ProWine São Paulo, a maior e principal feira de vinhos e destilados das…