Entrevista com o Embaixador da Geórgia: “O vinho corre nas veias dos Georgianos”

Embaixador da Geórgia
Embaixador da Geórgia no Brasil, David Solomonia: “orgulho de nossa rica e histórica cultura vinícola”/

A história do vinho é imprecisa, já que a bebida foi criada antes mesmo da escrita. Mas estima-se que em algum lugar nas montanhas da Geórgia entre 8000 a.C. e 5000 a.C., um fazendeiro descuidado acabou esquecendo um punhado de uvas amassadas dentro de um recipiente. Com o tempo, as frutas sofreram fermentação, exalando um aroma típico que chamava a atenção de quem passava por perto. Alguém não resistiu e resolveu experimentar – glup! O resultado você pode conferir hoje, na sua taça!!

Não à toa, o símbolo do país é a Kartlis Deda (“Mãe dos Georgianos“, no idioma local), visível de todos os lugares da capital Tbilisi. A mensagem é clara: Para os amigos, vinho. Para os inimigos… a espada.

Para os amigos, vinho; para os inimigos: a espada
Para os amigos, vinho; para os inimigos: a espada

Nessa entrevista, realizada por Stéphane Queiroz, da Wine7, o Embaixador da Geórgia no Brasil, David Solomonia, fala sobre a cultura peculiar de seu país e a importância do vinho para seu povo, já que o país é considerado o berço do vinho no mundo, além de único em termos de preparação e fermentação feita em Qvevri recipiente de barro criado na Geórgia e usado para fermentar a uva. Solomon fala também de seu trabalho e o grande interesse em fazer da Geórgia o destino de férias para os brasileiros e os amantes do vinho. Confira a entrevista.

Leia também: Você conhece os vinhos da Geórgia?

Os vinhos georgianos têm despertado cada vez mais o interesse dos amantes do vinho no Brasil e no mundo? O que torna o vinho georgiano tão especial? 

Vinhos da Geórgia tem despertado o interesse do Brasil e do mundo
Vinhos da Geórgia tem despertado o interesse do Brasil e do mundo

Como georgianos, temos orgulho de nossa rica e histórica cultura vinícola. Posso citar como exemplo um método tradicional que tem vivido um renascimento: o qvevri – um vaso de barro usado para armazenar e envelhecer vinhos por milhares de anos – e que está se tornando o símbolo não oficial do país. A Geórgia é justamente considerada o “berço do vinho”. Arqueólogos rastrearam a primeira criação de vinho conhecida do mundo até 8.000 aC na Geórgia. Os primeiros georgianos descobriram que o suco de uva poderia ser transformado em vinho enterrando-o no subsolo. A palavra vinho vem do georgiano “gvino”. A Geórgia agora está se destacando no mercado natural de vinhos, o aumento do interesse pelos métodos tradicionais e o uso de argila para armazenamento e fermentação colocou o país na vanguarda da produção da bebida. Com clima e topografia únicos e mais de 500 variedades de uvas, você pode passar a vida desfrutando vinhos da Geórgia. Como diz o ditado, o vinho corre nas veias dos georgianos. Há uma lenda que relata como os soldados teciam um pedaço de videira na cota de malha protegendo o peitoral; assim, quando morriam em batalha, uma videira brotava, não apenas de seus corpos, mas de seus corações.

Quando falamos de vinho, já pensamos na comida com a qual vamos harmonizar, isso nos diz um pouco sobre comida típica da Geórgia e, se, como o vinho, existe alguma que faz parte da lista da UNESCO?

Vinho da Geórgia
Vinho e Gastronomia da Geórgia: magia deliciosa e requintada

As tradições de cada nação estão intimamente ligadas à sua cultura gastronômica e, é claro, não se pode mencionar o vinho georgiano sem mencionar a rica e deliciosa culinária georgiana. Abrangendo a antiga Rota da Seda, há um argumento sólido para considerar a comida da Geórgia como sendo a culinária de fusão original do mundo. Rica em história e sabor, a cozinha georgiana é uma das mais exóticas do mundo e a comida é principalmente caseira e orgânica. A cozinha georgiana é magicamente deliciosa e requintada, seus principais componentes são as características regionais, o produto original e as formas de preparação, que tornam os pratos georgianos inesquecíveis. A melhor maneira de experimentar a diversidade da culinária georgiana é viajar para a Geórgia, é claro, desfrutando do estilo de vida georgiano e descobrindo a paixão pela comida e pelo vinho. Um dos pratos georgianos mais populares, a tradição do Khachapuri, o pão em forma de barco cheio de queijo, foi inscrito no registro do Patrimônio Cultural Imaterial da Geórgia e atualmente o trabalho está em andamento para fazer a UNESCO proclamar a Tradição do Khachapuri como patrimônio cultural imaterial da humanidade. Hoje essa iguaria pode ser experimentada até mesmo no Brasil.

No dia 26 de maio é comemorada a data nacional da Geórgia. Como os georgianos comemoram essa data? Como o senhor descreve seu país?

Embaixador da Geórgia no Brasil
Embaixador da Geórgia no Brasil

26 de maio é o dia em que a República Democrática da Geórgia adotou o ato de independência, restabelecendo assim o Estado georgiano. Como em geral, o Dia da Independência está associado a concertos, feiras e cerimônias, além de vários outros eventos públicos e privados que comemoram a história e a cultura da Geórgia, mas no fundo de todos os georgianos é o dia de orgulho e compreensão do significado do sacrifício de nossos antepassados, seus feitos e sua luta para manter viva a ideia de independência por séculos. Quanto à descrição da Geórgia, como diz a lenda, quando Deus dividia a Terra entre os povos, os georgianos estavam atrasados, porque na época estavam colhendo as uvas para fazer vinho. Como estavam atrasados, Deus teve que dar aos georgianos a terra que ele guardava para si. E esta é a melhor descrição da Geórgia, um país com todas as variedades e cores da natureza disponíveis em todas as estações do ano; com habitantes alegres, calorosos e hospitaleiros e, claro, um vinho delicioso.

A Geórgia é o único país do mundo a ter o idioma georgiano como oficial. O Senhor poderia comentar um pouco sobre suas peculiaridades?

O idioma georgiano (kartuli ena) é realmente único e não tem nenhum vínculo com outros grupos de idiomas, consistindo também de subgrupos regionais de outros idiomas kartvelianos. E também não devemos esquecer o alfabeto georgiano único, um dos 14 alfabetos existentes no mundo, inscrito na lista representativa do patrimônio cultural imaterial da humanidade pela UNESCO. A evolução da linguagem escrita da Geórgia, a partir do século V, produziu três alfabetos – Mrgvlovani, Nuskhuri e Mkhedruli – que permanecem em uso até hoje. Mrgvlovani foi o primeiro alfabeto do qual o nuskhuri foi derivado; depois veio o mkhedruli, o alfabeto moderno. Os alfabetos coexistem graças as suas diferentes funções culturais e sociais, refletindo um aspecto da diversidade e identidade da Geórgia. Seu uso contínuo em um sentido cultural, também dá um sentimento de continuidade às comunidades.

O turismo na Geórgia é um segmento muito importante para o país. Em tempos de pandemia, quais são as perspectivas de promoção para o setor? E quais são as perspectivas para o crescimento do enoturismo entre o Brasil e a Geórgia?

passará a receber visitantes estrangeiros a partir de 1º de julho de 2020
Geórgia passará a receber visitantes estrangeiros a partir de 1º de julho de 2020

Antes de tudo, deve-se notar que a Geórgia conseguiu manter os casos do Covid-19 muito baixos, com baixo número de infecções e casos letais. Agora, o Governo da Geórgia, em coordenação com as instituições relevantes, estabeleceu diretrizes de segurança obrigatórias para a indústria do turismo visando garantir a segurança dos turistas no país e das pessoas empregadas no setor de turismo. De acordo com a decisão do governo, a Geórgia abrirá suas fronteiras criando “corredores verdes”, com a maior segurança e passará a receber visitantes estrangeiros a partir de 1º de julho de 2020. Durante o pico da pandemia na Geórgia, a indústria do turismo local ganhou uma experiência inestimável, que atualmente garante a prontidão do país como um destino seguro para atender adequadamente os turistas em conformidade com os protocolos internacionais de saúde e com padrões de segurança que nos dá a oportunidade de ser um dos primeiros países do mundo a abrir suas fronteiras para viajantes internacionais. Acreditamos que a bela natureza, as paisagens, os parques nacionais, o clima curativo e as águas minerais (especialmente importantes durante os tempos da pandemia), juntamente com a deliciosa culinária, os costumes de vinificação de 8 mil anos, a autenticidade e o patrimônio cultural único, a diversidade do país e as classificações de segurança superiores, transformarão a Geórgia em um importante destino de viagem para viajantes brasileiros, porque cada um desses aspectos juntos e separadamente representam o que os viajantes procuram no próximo destino.

Qual mensagem o Senhor deixa para os brasileiros que querem conhecer a Geórgia?

A Geórgia é o país da história antiga, da cultura e tradições entrelaçadas com um estilo de vida moderno. São milhares de anos de história, mitos e lendas, é a terra do “Velo de Ouro” e das montanhas do Cáucaso, onde Prometeu foi acorrentado. É o lugar do vinho e da comida deliciosa. Terra de pessoas hospitaleiras, onde todos podem encontrar seu próprio lugar. É importante ressaltar que os georgianos não são tão diferentes dos brasileiros. Com nosso temperamento e natureza, nós, como brasileiros, sempre tentamos encontrar uma visão otimista do mundo e sempre vemos o lado bom, mesmo nos momentos mais difíceis.

Colaboração: Stéphane Queiroz é enóloga e administradorta especialista em Comércio Exterior. É executiva de negócios do Consulado da Geórgia em Goiás e sócia da empresa Wine7.

Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vinhos premiados no Wine Piri Jazz

Conheça os vinhos premiados por Marcelo Copello no Wine Piri Jazz. Foram avaliados 62 vinhos…

Evento de Harmonização de Vinhos Italianos Tenuta Ulisse

Na última quinta-feira (20), o perfil @vinhosporetienne teve o privilégio de participar de um evento…

Palomina Bar: Novo Wine Bar em Brasília

Brasília, o terceiro maior polo gastronômico do Brasil, ganha um novo wine bar: o Palomina…

Directo del Viñedo Vendimia no Uruguai

Após ser realizado no Brasil e no Chile, o Directo del Viñedo Vendimia chega ao…