Santa Colina Brut Rosé estreia com Ouro na ‘terra do champagne’

Uma das mais prestigiadas e tradicionais competições de vinhos do mundo acaba de honrar o Santa Colina Brut Rosé 2023, da Cooperativa Vinícola Nova Aliança, com a Medalha de Ouro. Este feito marca a primeira vez na história da vinícola em que um de seus espumantes é reconhecido com tal distinção na ‘terra do champagne’. A notícia foi recebida com grande alegria e entusiasmo pelos mais de 700 cooperados, que têm trilhado um novo rumo desde a posse da nova diretoria e uma abrangente reestruturação.

“Hoje, colhemos os frutos do árduo trabalho realizado no último ano. As mudanças foram abrangentes e afetaram todos os setores da cooperativa. Embora ainda haja muito a ser feito, um prêmio como este valida nossa trajetória. Agora, é momento de celebrar esta conquista com toda nossa equipe técnica e cooperados, e seguir adiante, concentrados no reposicionamento das nossas marcas. Estamos confiantes de que muitas outras vitórias virão”, celebra Heleno Facchin, Diretor Superintendente da Nova Aliança. Ele adianta que essa transformação implica até mesmo no aumento da produção de vinhos finos e espumantes. “Nosso objetivo é nos tornarmos referência nesses produtos, sendo reconhecidos por nossos rótulos de excelência. Uma premiação como essa é a vitrine que precisamos para ampliar nossa visibilidade.”

Apesar do foco na safra de 2024, que segue em andamento, o enólogo André Gasperin comemora a Medalha de Ouro e aposta em muitas outras por vir. “Estamos totalmente empenhados na produção de vinhos finos e espumantes. A vinificação da safra de 2023 já trilhou esse novo caminho, e os consumidores estão começando a apreciar, em suas taças, a Nova Aliança renovada, com vinhos e espumantes de qualidade internacional”, afirma Gasperin. Ele também menciona que a produção do Santa Colina Brut Rosé, atualmente em 100 mil garrafas por ano, deverá aumentar gradativamente.

Da mesma forma, o presidente da Cooperativa Nova Aliança, cooperado Sidimar Fleck, celebra o desempenho do Santa Colina Rosé Brut na França. “Viajamos pelo Oceano Atlântico para mostrar a um júri internacional, composto por 113 degustadores de 24 nacionalidades, que sabemos produzir espumantes de qualidade. É impressionante ver que fizemos escolhas acertadas, apostando em um cooperativismo comprometido não só com o social, mas também com a inovação.”

Elaborado pelo método charmat, este espumante é resultado do corte de vinho base Chardonnay (60%), Riesling (10%) e Pinot Noir (30%), cultivadas em dois terroirs: Serra Gaúcha e Campanha Gaúcha. Posteriormente, o vinho passa pelo processo de espumantização em tanques de pressão – autoclaves. As leveduras selecionadas realizam a fermentação alcoólica, liberando gás carbônico, que é incorporado ao líquido, criando o perlage. A maturação ocorre através do contato com as borras, adicionando aromas e cremosidade ao produto. Por fim, o espumante é clarificado, filtrado, estabilizado e engarrafado.

O resultado é um espumante de coloração rosé salmão, com perlage fino e persistente, e aromas de frutas frescas, destacando-se maçã e cereja. No paladar, apresenta uma equilibrada cremosidade e refrescância. É ideal para acompanhar aperitivos leves, peixes e na elaboração de coquetéis. A temperatura recomendada de serviço é de 4°C a 6°C.

Um pouco de história: A Cooperativa Nova Aliança, formada em 2010 e composta por 700 famílias cooperadas, surgiu da união de cinco cooperativas vitivinícolas da Serra Gaúcha: Cooperativa Aliança (1931) e Cooperativa São Victor (1929), de Caxias do Sul; Cooperativa São Pedro (1930) e Cooperativa Santo Antônio, de Flores da Cunha; e Cooperativa Linha Jacinto (1931), de Farroupilha. Juntas, elas se tornaram uma única entidade, unindo pessoas, valores e histórias de trabalho e superação enraizadas em gerações de descendentes de italianos. Toda a uva processada anualmente provém dos cooperados, que possuem propriedades em cidades da Serra Gaúcha, Serra do Sudeste e Campanha Gaúcha, além dos vinhedos próprios cultivados em Santana do Livramento, onde a vinícola mantém 50 hectares de vinhas vitis viníferas em uma área total de 400 hectares. Assim, o portfólio de 127 rótulos entre espumantes, vinhos finos e de mesa, suco de uva, frisante, filtrado e quentão, expressa o terroir de quatro distintas regiões gaúchas. Com uma das maiores e mais modernas plantas industriais de suco de uva da América Latina, com 24.000 metros quadrados, a matriz em Flores da Cunha tem capacidade para processar até 60 milhões de quilos de uva por ano. Agora, a Nova Aliança está focada no mercado de vinhos finos e espumantes.

Leia também – Barolo Bel Colle 2017 
Comentários
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Quem Sou

Sou jornalista especialista em vinhos e em comunicação digital. Sou sommelier Fisar e diretora da Associação Brasileira de Sommeliers do DF. Possuo qualificação Nível 3 (Wine Spirit Education Trust) e o Intermediário do ISG. Também tenho certificado em vinhos franceses (FWS) e vinhos californianos (CWAS).

Categorias

Veja Também

Vinhos para curtir no outono

Com a chegada do outono e suas temperaturas amenas, o clima agradável entre o fim…

Setor vitivinícola do Rio Grande do Sul será o primeiro projeto de localg.a.p do Brasil

Produtores rurais, vinícolas e indústrias de processamento de uva estão concluindo as auditorias para a…

Restaurante de chefs famosos em São Paulo usa tecnologia para evitar quebras de estoque e até gerir abertura de garrafas de vinhos

A eficiência na gestão de estoque é um componente crucial para o sucesso de bares,…

Bla’s Cozinha de Culturas lança novo menu executivo

O restaurante Bla’s Cozinha de Culturas, situado na 406 Norte, está lançando seu novo menu…